Algumas curiosidades sobre as baratas

Algumas curiosidades sobre as baratas

1681
COMPARTILHAR

Conheçam algumas curiosidades sobre as baratas. Realizamos um extensa pesquisa sobre esse inseto e trouxemos para os leitores do Sabenada algumas curiosidades sobre essa praga urbana. Confiram abaixo.

QUANTO TEMPO VIVEM?

Isso depende da espécie. A mais comum delas encontradas nas cidades, a chamada barata “de esgoto” (Periplaneta americana), pode sobreviver por até três anos. Outra espécie que às vezes encontramos nos centros urbanos, a “francesinha” ou “alemãzinha” (Blatella germanica), sobrevive pouco mais de um ano.

O QUE ELAS COMEM?

De tudo. Elas comem desde restos de comida animal ou vegetal, papéis, roupas, até madeira. Geralmente, elas saem para alimentar-se à noite, já que são animais de hábitos noturnos. As baratas podem ficar até um mês sem se alimentar e vários dias sem beber água.

ELAS CONSEGUEM NADAR?

Algumas espécies conseguem. Certos tipos de baratas são aquáticas e possuem muito fôlego, podendo ficar até 40 minutos submersas. Em geral, o lar preferido desses insetos são lugares úmidos e de clima quente. Apesar disso, elas são encontradas em todas as regiões do planeta, menos nas calotas polares.

EXISTEM BARATAS ALBINAS?

Não, isso é lenda. Acontece que, às vezes, as baratas trocam de “casco” – que os cientistas chamam de exosqueleto. Nessas situações, o casco que está nascendo é mais esbranquiçado. Mas, depois de uns dias, quando o processo de troca está completo, o exosqueleto retoma sua cor normal: parda, marrom ou negra.

HÁ MAIS BARATAS DO QUE GENTE?

Ah, sem dúvida! Embora até hoje ninguém tenha calculado a população mundial deste inseto, um levantamento feito recentemente na Grande São Paulo revelou que existem 200 baratas para cada morador da região. Feitas as contas, a região estaria infestada por 3,5 bilhões de insetos.

POR QUE ELAS MORREM DE PERNAS PRO AR?

barata01-sabenada.com.br

Porque os inseticidas usados para matá-las têm um componente que provoca espasmos musculares. Com a coordenação motora comprometida pela ação do veneno, elas não conseguem locomover-se de forma devida e acabam virando, não consigo mais desvirar e morrendo nesta posição.

QUAL É O TAMANHO MÁXIMO DE UMA BARATA?

São as baratas do gênero Megaloblatta, que medem 10 centímetros e vivem na América do Sul e Central. Nessas espécies – aliás, como na maioria das outras -, as fêmeas são maiores que os machos. A única vantagem do sexo masculino é ter asas mais desenvolvidas que as fêmeas.

ELAS AGUENTAM BOMBAS NUCLEARES?

Mais ou menos. Para resistirem a uma hecatombe nuclear, as baratas teriam de estar longe do centro de ação da bomba. Senão, morreriam queimadas. Se elas fugissem da explosão, a grande vantagem seria o corpo chato e pequeno. Isso possibilitaria que elas se abrigassem em pequenas frestas, protegendo-se da radiação mais forte.

As baratas também possuem alta resistência a radiação – mas isso só as ajudaria a suportar a radiação remanescente da explosão.

Os Mythbusters, os Caçadores de Mitos da Discovery Channel, testaram esse mito no episódio 97 e descobriram que as baratas poderiam sobreviver a 10 vezes a radiação que nós, humanos, aguentamos.

É VERDADE QUE AS BARATAS CONSEGUEM VIVER SEM A CABEÇA?

Sim. A explicação para esse fenômeno bizarro é simples: as principais estruturas vitais da barata não estão na cabeça. O coração é um vaso estendido ao longo do dorso. O sistema nervoso fica espalhado pelo abdome. E o mais importante: as baratas respiram por estruturas chamadas espiráculos, uma série de pequenos poros distribuídos ao longo do corpo que mantêm o entra-e-sai de ar numa boa.

Além disso, elas possuem pressão sanguínea muito menor que a dos mamíferos. Por isso, quando ela é decapitada, a perda de sangue não compromete sua sobrevivência. Todos esses fatores juntos podem fazer com que uma barata viva durante um mês decepada.

Por mais maluco que pareça, esse dom de viver sem cabeça não é a única habilidade dessa verdadeira heroína da resistência. As baratas conseguem regenerar as patas arrancadas em poucos dias.

Pesquisas paleontológicas indicam que os ancestrais das baratas já habitavam nosso planeta há mais de 300 milhões de anos. Hoje, são mais de 3 500 espécies espalhadas pelo mundo, reproduzindo-se a uma velocidade enorme: um casal de baratas pode gerar até 100 mil descendentes no período de um ano! Por isso é tão difícil se livrar delas.

ELA É CONSIDERADA IGUARIA

Em alguns lugares do mundo, como na China e na Tailândia você consegue encontrar em feiras de comidas exóticas barraquinhas que vendem baratas para uma deliciosa degustação. Isso mesmo.

barata02-sabenada.com.br

ELAS TRANSMITEM DOENÇAS

Entre os principais problemas que as baratas podem ocasionar aos seres humanos está a sua atuação como vetores mecânicos de diversos patógenos (bactérias, fungos, protozoários, vermes e vírus).

As baratas domésticas são responsáveis pela transmissão de várias doenças, através das patas e fezes pelos locais onde passam. Por isso são consideradas perigosas para a saúde dos seres humanos.

Fonte(s): Wikipedia, Livescience

 Comentários