As lendas urbanas mais populares do Brasil

As lendas urbanas mais populares do Brasil

2066
COMPARTILHAR

As lendas urbanas mais populares do Brasil. O brasileiro é um ser um tanto quanto curioso e que merece um estudo antropológico profundo! A extensão territorial é vasta, o povo de norte à sul é variado, os costumes e credos são contrastantes e é exatamente isso que forma as concepções do que é o povo brasileiro. A diversidade está no nosso DNA e isso reflete no modo com o qual, cada região nacional tem as suas próprias lendas.

Ou vai falar que tu nunca na vida ouviu falar da “Maria Algodão”? Ou figuras como o “Chupa-Cabra”? Se você não conhecia, está na hora de se atualizar, e se você já conhecia algumas dessas crendices, está na hora de ligar o botão da nostalgia e se deliciar com essas lendas urbanas brasileiras que fizeram a mente de muita gente.

Confira conosco abaixo as 10 mais difundidas e controversas:

 1. Os Bonecos do Fofão

Os-brinquedos-mais-assustadores-EVER-montagem-fofao

Iniciando o ranking de lendas urbanas brasileiras, temos uma envolvendo esse ícone dos anos 80. Em 1986, foram confeccionados bonecos do “Fofão”, que acabou de certo modo, gerando uma histeria coletiva de pânico nos brasileiros. O motivo, era que era utilizada uma faca negra gigante para prender a cabeça do boneco ao corpo. Um tanto quanto inadequado, se levarmos em conta que o produto era dedicado ao público infantil. A lenda de que havia a faca pontuda dentro do boneco foi comprovada.

2. Teorias sobre a Xuxa

xuxa-pacto

Teorias de Conspiração servem muito mais para medir a popularidade de um artista, como um termômetro, do que para denegri-lo ou polemizar sobre o seu nome. E essa é uma das razões pelo qual a Xuxa se tornou um ícone popular. Historicamente, desde que foi para a Globo no fim da década de 80, Xuxa foi acusada de ter feito um pacto com satanás para ter o sucesso todo que ela obteve meteoricamente. As séries de teorias mirabolantes seguem com diversas músicas da Rainha dos Baixinhos, que de acordo com a lenda, se ouvidas de trás para frente, possuem significados ocultos. Cada um entende o que quer ouvir nesses casos, não?! Sim, a pareidolia é pertinente aos sons também.

3. Chupa-Cabra

chupa-cabra

Os anos 90 se resumiam a: Domingo Legal (e a banheira do Gugu), Mariah Carey nos Estados Unidos, Clipes do Michael Jackson no Fantástico e teorias bizarras. Entre elas a do “Chupa-Cabra”. A teoria inicial é oriunda de Porto Rico, e acabou se espalhando em solo nacional. Moradores de cidades interioranas brasileiras, relataram aparições de um ser grotesco que provavelmente matava as cabras das chácaras e fazendas. Anos depois surgiu essa imagem na Internet e atribuíram-na ao famigerado “monstro”.

4. A assustadora loira do banheiro

loira-banheiro

Conhecida como Maria Algodão, Loira do Banheiro, (e depois da invasão de Harry Potter, até mesmo Murta-Que-Geme) enfim, todas referindo-se a uma aparição feminina nos banheiros brasileiros, é uma das maiores lendas urbanas brasileiras.

De acordo com a teoria, ela era uma moça loira que matava aula e que teve de ficar trancafiada em um banheiro da escola como castigo. Para vê-la era necessário um tipo de “ritual“, como dar três descargas, abrir e fechar a pia duas vezes e coisas do tipo. Enfim, ela era muito difundida em colégios primários, para que as crianças não quisessem matar aula.

5. A Gangue do Palhaço

gangue-do-palhaco

Muitas crianças de antigamente, se tornaram adultos medrosos, quando o assunto é palhaços ou circos, graças a lenda da Gangue dos Palhaços. Iniciada na década de 60, nos Estados Unidos, foi trazida para o Brasil, difundindo a teoria da existência de um palhaço serial killer que possuía uma gangue que espalhava terror nas pessoas.

6. O Homem do Saco

velho-do-saco

Essa, infelizmente, quem vos fala, realmente acreditava, viu? Essa é uma lenda urbana pavorosa que os pais e mães da América Latina utilizam para assustar e coibir as ‘artes’ dos filhos. Ela basicamente dizia que existe um homem que carrega as crianças que não se comportam, dentro de um saco, para morar com ele.

7. O Menino Chorão

menino-chorao

Segundo a teoria, esse quadro em questão, foi feito por uma pessoa que tinha um pacto com o tinhoso. No quadro, uma criança é representada chorando, na hora exata em que foi assassinada pelo autor da pintura, em uma espécie de sacrifício para Satanás. O boato foi mais intensificado quando descobriram que ao virarem o quadro de lado, é possível ver as feições do diabo engolindo a criança.

8. Seringa no Cinema

seringa-aids-cinema-lenda-dos-anos-80

Na década de 80, no auge da descoberta da AIDS, obviamente ela seria alvo de se tornar um motivo palpável de histeria coletiva. Havia o boato de que um psicopata entrava nas salas de cinema brasileiras portando uma seringa repleta de sangue contaminado com HIV e que assustava as pessoas tentando furá-las.

9. Jogo do Copo (Inspirado no Tabuleiro Ouija)

brincadeira_do_copo

Inspirado no jogo que brinca e comunica com espíritos, chamado de Tabuleiro Ouija, o Jogo do Copo, foi uma ferramenta usada por crianças e adolescentes brasileiras desde a década de 60. Consistia em uma espécie de comunicação entre o plano material e o espiritual, usando um copo e um alfabeto, além de palavras como SIM e NÃO, que o provável espírito respondia.

10. A Lenda do Opala Negro

opala-pretoUbiratã Carlos de Jesus Chavez foi um dos bandidos cariocas mais procurados pela polícia, e em uma fuga ele teria utilizado um Opala preto, que ao adentrar em um túnel obscuro, colidiu com um fusca. Nenhuma das pessoas sobreviveu ao acidente, mas o que intrigou as pessoas e fez com que essa história se tornasse uma lenda urbana, é que o Opala Negro simplesmente perseguia os carros que atravessavam o túnel onde ocorreu o acidente durante a noite. Teria coragem de dar um role ai?

Gostou das Lendas Urbanas? Comentem.

COMPARTILHAR
Formado em direito, Policial Militar, Amante de Tecnologia, Carros, Internet, Seriados, Filmes, etc. Idealizador deste site. Passa mais tempo no computador do que deveria.

 Comentários